9 doenças de inverno mais comuns para ficar de olho

Doenças de inverno.

Segundo a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), as alterações climáticas, quedas de temperatura e aumento da poluição, contribuem para aumentar a vulnerabilidade do organismo. Conhecer as principais doenças de inverno é uma forma de entender como elas ocorrem e, consequentemente, tentar evitá-las.

Por isso, você vai conferir a seguir as causas de reações como espirros, coceira, irritação nos olhos, nariz congestionado e muitos outros sintomas. Conheça as 9 doenças de inverno mais comuns!

Por que ocorrem as doenças de inverno?

Com a diminuição na temperatura que ocorre na entrada do inverno, a circulação de vírus no ar aumenta. Desse modo, estações climáticas como esta acabam sendo acompanhadas de doenças alérgicas e respiratórias, resultando nas principais causas de internações no país durante o período. As doenças mais frequentes são a pneumonia e rinite alérgica, principalmente entre idosos e crianças.

A temperatura amena e diminuição da umidade relativa do ar do inverno acaba agravando essas doenças, em especial as alérgicas. Contudo, é possível preveni-las para aproveitar melhor o período dessas estações. Evitar aglomerações é a principal forma de prevenir-se das doenças de inverno.

Doenças de inverno, as 9 mais comuns para ficar de olho

O início da temporada de frio causa também o aumento nos índices de doenças respiratórias. Isso acontece devido a época do ano em que o clima se torna mais seco, com baixa umidade do ar e aumento da poluição. 

O ar frio por si só já é capaz de causar irritação nas mucosas que revestem as vias nasais, provocando inflamações. Essa condição acaba facilitando a entrada para vírus e bactérias que podem causar infecções no aparelho respiratório, formado pela boca, nariz, faringe, laringe, traqueia, brônquios, bronquíolos, alvéolos pulmonares e sacos alveolares. 

O ar seco também traz a concentração de poluentes na atmosfera, causando maior sofrimento àqueles que já vivem com uma doença respiratória. São nessas condições que vírus como o da gripe acabam se proliferando, tornando comum surtos, assim como crises asmáticas, de sinusite e bronquite. A seguir, conheça as 9 principais doenças de inverno.

1. Dermatite

A mudança de temperatura entre as estações pode acarretar outros tipos de complicações, como a dermatite. Consequentemente, leva a pessoa a banhos quentes e demorados que podem causar o ressecamento e sensibilidade da pele. Essa ação pode gerar dermatite, coceira e irritação na pele que pode evoluir para bolhas e rachaduras, estando associadas à alergia sazonal.

2. Asma

A asma é caracterizada pela inflamação das vias aéreas, e mesmo que suas causas não sejam bem definidas, sabe-se que provavelmente são decorrentes da combinação de fatores genéticos e ambientais. 

Nesse exemplo de doenças de inverno, os brônquios ficam inflamados, principalmente ao entrar em contato com fatores desencadeantes que dificultam a respiração, como poeira, poluição, ar frio e fumaça de cigarro. Durante a primavera, a tendência aumenta para que crianças sofram com maiores crises. 

3. Bronquite alérgica

A bronquite alérgica faz parte das alergias associadas à sazonalidade, e pode ser provocada por uma série de motivos, desde a presença de poeira até o hábito de fumar. É importante conseguir identificar o agente alérgico causador para poder eliminar o problema, solucionando as crises.

Assim como a asma, a bronquite tem causadores parecidos. Contudo, não existe relação entre elas, mas sim entre os fatores que originam seus sintomas, como os pelos de animais, fumaça, mofo, entre outros.

4. Sinusite 

Inflamação das mucosas da face localizadas ao redor do nariz, a sinusite atinge a região conhecida como maçãs do rosto. Quando alterações impedem o fluxo das secreções dessa área, acontece a inflamação. Pode ser aguda ou crônica, e seus sintomas podem variar entre dor de cabeça (especialmente na face), congestão nasal, tosse, coriza, e em alguns casos febre

5. Bronquiolite

Mais comum entre crianças pequenas e bebês, a bronquiolite surge a partir de 6 meses de vida. Ela acontece quando os bronquíolos se inflamam, causando tosse, falta de ar, cansaço e chiado no peito. Essa é uma das doenças que mais leva crianças para internações em épocas de inverno.

6. Pneumonia

A pneumonia é uma infecção causada por vírus ou bactéria que se instala nos pulmões. Pode ser provocada também por reações alérgicas e decorrente de um resfriado mal curado. Idosos e pessoas acamadas são mais propensas a ter a doença, e, quando não tratada a tempo, pode ser fatal. Seus sintomas incluem tosse intensa com secreção amarelada ou esverdeada, dores nas costas e peito, febre alta, falta de ar e mal-estar.

7. Resfriado 

Infecção viral que afeta o sistema respiratório, o resfriado costuma ter duração de até 5 dias. Seus sintomas são semelhantes ao da rinite alérgica, como coriza e espirros. No entanto, pode causar também febre baixa, cansaço e dores de garganta. 

8. Otite

A otite, infecção no ouvido causada por vírus ou bactéria, apresenta-se mais frequente durante o inverno. Isso porque, as secreções que muitas vezes estão em garganta ou nariz acabam se deslocando para o ouvido, causando fortes dores pela inflamação.

9. Gripe

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório causada pelo vírus influenza. Atingindo pessoas mais susceptíveis, como crianças de até 5 anos e pessoas acima de 60 anos, a gripe apresenta febre, mal-estar, dores de cabeça e tosse. Seu tratamento é direcionado para aliviar os sintomas, contudo, a melhor forma de evitar que ela apareça gripe é por meio da vacinação.

Como prevenir as doenças de inverno?

Doenças de inverno, como se prevenir.

Os cuidados com a saúde durante o inverno exigem medidas simples que podem ajudar a prevenir doenças respiratórias e também alérgicas. Muitas delas fazem parte da boa educação ao tossir ou espirrar.

Com temperatura amena e queda da umidade relativa do ar, o inverno traz consigo o agravamento de algumas doenças, em especial as alergias. Entretanto, é possível preveni-las, aproveitando melhor essa estação. 

O clima torna-se propício para a transmissão de vírus e proliferação de fungos e bactérias, por isso, a primeira dica de cuidado com a saúde para evitar alergias no outono é evitar aglomerações e lugares fechados.

Os cuidados com o organismo devem ser redobrados, por isso, é fundamental manter uma boa qualidade de vida para estar saudável. Confira outras formas de manter a qualidade de vida nessa estação e evitar as doenças de inverno.

1. Lave roupas e cobertores

É no inverno que os cobertores, mantas e casacos deixam o armário e voltam para a circulação. Esse momento requer grande atenção dos alérgicos, portanto, é fundamental investir na boa limpeza das peças para evitar o contato com ácaros, poeira e até fungos acumulados.

2. Evite poeira 

Essa dica é válida para todas as estações do ano. Pessoas alérgicas devem manter a casa sempre limpa e longe de poeira, ácaros, e substâncias que possam se tornar alérgenos. Tenha uma rotina de higienização e mantenha o lugar sempre arejado. 

3. Evite o uso de certos tecidos

O organismo dos alérgicos tem alguns tecidos como inimigos, por isso, é preciso evitar o uso de certas roupas no outono, como lãs, veludos e sintéticos, preferindo sempre tecidos como o algodão, capazes de aquecer sem agredir o organismo.

4. Tenha uma alimentação saudável

Uma boa alimentação é o segredo para uma vida saudável e uma das recomendações para aqueles que buscam se prevenir das doenças de inverno. Adotar uma dieta balanceada, rica em sais minerais, proteínas e vitaminas, é extremamente importante para que o organismo possa manter-se forte e protegido contra a ação dos alérgenos. 

Além disso, o consumo de água deve ser intenso, deixando o corpo hidratado e saudável. Contudo, é importante evitar o exagero no consumo de alimentos a que não se está acostumado, reduzindo as chances de desencadear alergias alimentares. Quando o assunto são crises alérgicas, a prevenção é sempre a melhor opção, principalmente no outono, estação em que as oscilações de temperatura são fortes.

5. Evite contato com agentes alérgenos

Outra forma de aliviar o aparecimento da alergia sazonal é evitar contato com agentes alérgenos, como flores, árvores e jardins, utilizar óculos de sol para diminuir o contato do pólen com os olhos, secar roupas ao sol, evitar tapetes, carpetes e pelúcias, e evitar ambientes com ar-condicionado.

6. Fique hidratado

É comum que durante os climas mais frios o consumo de água diminua entre as pessoas. Esse é um grande problema, visto que, muitas das doenças respiratórias decorrentes do ar frio deixam as vias aéreas secas, permitindo a instalação de vírus e bactérias. Mantenha-se hidratado bebendo bastante água, chás e sucos ricos em vitamina C. Uma boa forma de fazer isso, é carregar sua garrafa de água sempre com você.

7. Evite ambientes fechados

Ambientes fechados são excelentes para a proliferação de vírus e bactérias no ar que já estão em maior quantidade no inverno. Dessa forma, mais pessoas podem acabar contraindo algumas doenças comuns da estação.

Mesmo que seja necessário se refugiar em um ambiente fechado em alguns dias mais frios, evite ficar por muito tempo em locais sem circulação de ar. Procure ambientes externos, com janelas e portas abertas para que o ar se renove. 

8. Mantenha as mãos limpas

Uma dica simples que pode ajudar a manter-se saudável não só no inverno mas em todas as épocas do ano, é lavar sempre as mãos. Esse ato pode evitar a transmissão não só de doenças respiratórias, mas também gastrointestinais.

Higienizar as mãos deve ser uma prática frequente entre todas as pessoas, principalmente quando estamos em contato com diferentes objetos, seja no trabalho, transporte público, comércio, ou mesmo em casa. 

9. Hidrate a pele

Em épocas como as estações mais frias do ano, é natural que a pele fique mais seca. Quadros como esse podem aumentar a irritação, rachaduras e alergias na superfície cutânea, sendo os lábios, pescoço e bochechas as partes mais atingidas. Mantenha os seguintes cuidados:

  • use cremes ou hidratantes no corpo;
  • evite banhos quentes e demorados;
  • use protetor solar facial mesmo em dias nublados ou frios;
  • hidrate os lábios com protetor labial;
  • diminua o uso de buchas corporais e produtos esfoliantes.

Como diagnosticar as doenças de inverno?

Doenças de inverno, como diagnosticar.

As alergias comuns no inverno podem ser diagnosticadas por dois tipos de testes. Para alergias é feito o teste cutâneo de puntura – com gotas do antígeno pesquisado (ácaros, animais, pólen) no braço do paciente – após 15 ou 20 minutos. Se o indivíduo for alérgico, aparecerá uma reação com formação de pápula vermelha, com coceira no local da gota. Isso significa que o indivíduo tem anticorpos para aquele antígeno e está sensibilizado.

Esta avaliação também pode ser feita com um exame de sangue – ImmunoCAP. Para as alergias de contato na pele, usamos o teste de contato tardio (Patch test), onde as substâncias suspeitas são colocadas em uma fita adesiva larga que fica grudada por dois dias nas costas do paciente.

Para outras alergias, como alergias a alimentos e medicamentos, o melhor teste é o de provocação, que só deve ser indicado e realizado pelo especialista em alergia, pois pode ter reações mais graves. Ambos exames podem ser realizados na Clínica Croce.

Clínica Croce 

A Clínica Croce tem entre suas especialidades, o diagnóstico e o tratamento para as alergias sazonais, como as doenças de inverno. Localizada na zona oeste de São Paulo, a Clínica Croce foi fundada em 1973 pelo Prof. Dr. Júlio Croce, um dos primeiros médicos da Universidade de São Paulo (USP) a se especializar no tratamento de doenças alérgicas no Brasil e que, com outros profissionais, fundou a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI). 

Em 1988, a clínica foi assumida pelo Dr. Fábio F. Morato Castro, que deu início ao centro de imunizações da Croce — que hoje é uma referência nacional. Ao longo de sua história, a Clínica Croce montou uma equipe de profissionais altamente capacitados, da USP e da UNIFESP, selecionados criteriosamente para oferecer o que há de melhor e mais moderno na medicina nas áreas de alergologia, imunologia, endocrinologia adulta e pediátrica, reumatologia, otorrinolaringologia, vacinas e infusões de medicamentos.

Na Croce, você irá contar com o atendimento humanizado e a avaliação científica precisa e qualificada de uma equipe renomada de especialistas que atua de modo interdisciplinar, o que potencializa um encaminhamento do caso mais integral e eficaz ao paciente. 

E quando o assunto é remédio para as alergias, a Clínica Croce também é uma referência, uma das principais especialistas no Brasil nesse tipo de tratamento. Em nossa clínica, disponibilizamos no rol de opções, o tratamento com a infusão Omalizumabe (Xolair®). Conforme vimos, ele apresenta ótimas perspectivas para se aliviar os sintomas da doença e promover mais qualidade de vida ao paciente, que não verá mais sua rotina ser limitada e prejudicada pelos desconfortáveis efeitos físicos, emocionais e psicológicos da doença. 

Na Clínica Croce, contamos com um corpo médico que contempla especialistas de diversas áreas, incluindo a alergologia e imunologia. A clínica é uma das mais conceituadas do país e disponibiliza alergologistas com ampla experiência e prontos para fornecerem o atendimento qualificado e humanizado que o paciente necessita.

A clínica conta com estrutura, equipamentos e metodologias modernas para dar o suporte necessário. O corpo clínico da Croce está preparado para prestar atendimento qualificado e especializado, por meio de exames, testes, consultas, diagnósticos e encaminhamento de tratamentos diversos, trazendo muito mais conforto para os seus pacientes.

A equipe de alergologia é responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças que acometem o sistema imunológico e desencadeadas por fatores alérgicos. Dentre as patologias mais comuns estão a hipersensibilidade a venenos de insetos, a alergia alimentar, dermatite atópica, asma e urticárias.

Assim como ocorre com boa parte das enfermidades, o sucesso do tratamento das doenças alérgicas depende da velocidade do seu diagnóstico. Afinal, esse fator influencia na incidência de episódios de crises que podem prejudicar os afazeres diários e, até mesmo, levar a óbito.

Ainda, a Clínica Croce conta com um ambiente confortável, equipamentos e metodologias de trabalho modernas e uma atenção especial ao paciente desde seu primeiro contato. E tudo isso está à sua disposição de modo facilitado, já que a Clínica Croce trabalha com diversos planos de saúde, incluindo Bradesco Saúde, Plano de Saúde Itaú, Mediservice, Porto Seguro Saúde, SulAmérica Saúde e Convênio ABMED.

As mudanças de estações devem ser acompanhadas dos cuidados acima de forma redobrada. Mantenha-se saudável melhorando seus sistema imunológico e evite situações que possam causar ou piorar as doenças de inverno.

Se você costuma apresentar algum dos sintomas que possam representar as doenças de inverno, agende sua consulta com a Clínica Croce. Por meio do atendimento via telemedicina é possível ser atendido de qualquer lugar do Brasil, sem a necessidade de estar em São Paulo, cidade sede da clínica.