Como aliviar a dor nas articulações?

dor nas articulações

Graças às articulações, temos a capacidade de nos locomoção e movimentação dos membros. No entanto, à medida que o tempo passa, o envelhecimento natural e outros fatores, como problemas degenerativos, podem causar problemas, como a dor nas articulações.

Dessa forma, os movimentos acabam exercendo certa pressão, causando incômodo e desconforto diário. Quando não tratada, a dor nas articulações pode evoluir para dores intensas que levam à incapacidade de movimentação.

Pensando nisso, para ajudar a melhorar seu bem-estar e qualidade de vida, desenvolvemos este artigo com mais informações sobre o assunto, além de mostrar como é possível aliviar a dor nas articulações, e qual conduta deve ser tomada para isso. Confira!

O que é a dor nas articulações?

As articulações são estruturas funcionais que realizam o ligamento entre os ossos. Elas são compostas por cartilagens, membranas sinoviais, tendões e ligamentos. Graças às articulações, é possível que o corpo realize variados movimentos, visto que elas fornecem a estrutura física para isso. Além disso, a articulação ajuda a diminuir o atrito entre os ossos, que pode ocorrer durante a prática de exercícios de grande impacto. 

Contudo, quando começam a sofrer com algum tipo de dano, essas estruturas se tornam mais rígidas, perdendo a amplitude dos movimentos. Como consequência, pode haver dor nas articulações, enrijecimento e problemas que podem ser evitados com o tratamento adequado.

O que pode causar dor nas articulações?

São diversos os distúrbios e doenças que podem causar dor nas articulações. Por isso, o acompanhamento com um reumatologista é fundamental para diagnosticar e tratar as causas. Veja a seguir, as doenças reumatológicas mais comuns que causam a dor articular.

Artrite reumatoide

No Brasil, estima-se que 2 milhões de pessoas sofram com a artrite reumatoide. Essa doença inflamatória crônica gera impacto em diferentes articulações, manifestando-se em maior número no público feminino com idades avançadas.

A causa da doença ainda não é motivo de consenso na comunidade médica, e seus sintomas são caracterizados como rigidez no período da manhã, fadiga, dores nas articulações, vermelhidão e o aparecimento de edemas.

Seu tratamento medicamentoso deve estar adequado para o estágio em que a doença se encontra, sendo mais intenso conforme a condição agressiva da doença. Como parte importante das alternativas para lidar com os problemas, a fisioterapia garante que o indivíduo seja produtivo e desenvolva qualidade de vida. Contudo, em alguns casos, o tratamento cirúrgico é necessário.

Fibromialgia 

Caracterizada por dores musculares e dor nas articulações de forma generalizada e crônica, a fibromialgia não manifesta evidência de inflamação em áreas de dor. No entanto, causa cansaço, distúrbios de sono, ansiedade e problemas no humor.

Problema comum entre pacientes que buscam assistência em uma clínica de reumatologia, estima-se que 2,5% da população do país sofra com essa condição. Impactando de forma significativa a vida do portador, a fibromialgia torna o paciente sensível até mesmo ao mais leve dos toques. Contudo, não causa deformidades, diferente de outras doenças reumatológicas.

Seu tratamento envolve mudanças na rotina com exercícios físicos, boa alimentação e alternativas como alongamento e meditação. Os medicamentos utilizados variam entre antidepressivos e aqueles para o controle da dor crônica.

Artrite idiopática juvenil

Conhecida também como artrite reumatoide juvenil, essa doença inflamatória crônica atinge articulações e órgãos como olhos, pele e coração. Suas manifestações características são dores, artrite e elevação da temperatura de uma ou mais articulações.

Iniciando tardiamente, a dor nas crianças costuma ser branda, causando grande desconforto. O tratamento para a artrite idiopática juvenil inclui educação do paciente e familiares sobre a doença e o controle das dores e inflamação por meio dos medicamentos prescritos pelo reumatologista.

Osteoartrite

A osteoartrite é outra doença tratada pelo reumatologista. Conhecida também como artrose, é uma das principais causas que levam pacientes acima de 60 anos para clínicas de reumatologia. É caracterizada pelo desgaste da cartilagem articular e alterações ósseas, chamadas popularmente de “bico de papagaio”.

Entre seus principais sintomas, são apontados o inchaço, dor e rigidez nas articulações. O tratamento dessa condição envolve prática de atividades físicas, fisioterapia, medicamentos para redução da dor e otimização das funções articulares. Em casos extremos, uma intervenção cirúrgica pode ser feita como alternativa terapêutica.

Espondiloartrites

As espondiloartrites correspondem a um grupo de doenças que apresentam manifestações como artrite, acometendo articulações sacroilíacas e de coluna vertebral, inflamação em tendões e ligamentos que se ligam ao osso, e resposta negativa para o fator reumatóide em exames de sangue. As doenças que fazem parte do grupo das espondiloartrites, são:

  • Espondilite anquilosante;
  • Espondiloartropatias indiferenciadas (pessoas que não desenvolvem a doença por completo);
  • Artrite reativa (associada a doenças infecciosas);
  • Artrite psoriásica (doença associada à psoríase);
  • Artrite enteropática (associada à doença de Crohn, retocolite ulcerativa, doença de Whipple e outras).

Gota

Essa doença reumatológica inflamatória ocorre quando a taxa de ácido úrico no sangue está em níveis acima do normal — e isso pode acontecer tanto pela produção excessiva quanto pela eliminação deficiente da substância. Ainda assim, não necessariamente um indivíduo que tem taxa de ácido úrico elevada possui o diagnóstico de gota.

A principal característica da doença são as dores e os inchaços, devido à inflamação, que atinge sobretudo as articulações do dedão, dos tornozelos e joelhos. 

Entre os fatores de risco para a manifestação do problema estão:

  • Obesidade;
  • Dieta rica em purinas (presente em alimentos como carne de fígado, anchova e ervilha);
  • Consumo excessivo de álcool;
  • Doença renal;
  • Uso de determinados medicamentos (como a aspirina).

Vale salientar que essa é uma condição que acomete mais pessoas do sexo masculino, a partir dos 40 anos.

Não há cura definitiva para a gota. No entanto, o tratamento contribui para a redução da dor e o controle da inflamação, diminuindo as taxas de ácido úrico no sangue e, consequentemente, evitando as crises. 

Esse tratamento pode ser feito a partir de recursos farmacológicos, na prevenção aos fatores desencadeantes ou que levam à formação de ácido úrico, além de mudanças na dieta e um incremento no consumo diário de líquidos para otimizar a taxa de fluxo urinário.

Se não for tratada, a doença pode levar à deformação das articulações e a depósitos de cristais de monourato de sódio em cartilagens, tendões e articulações.

Tendinites

Outra doença que provoca dor nas articulações, a tendinite é caracterizada pela inflamação dos tendões. Desenvolve-se pelo uso exagerado ou repetitivo dessas estruturas, ou pela presença de doenças inflamatórias e degenerativas.

Entre as principais regiões acometidas pela tendinite estão cotovelos, ombros, punhos e calcanhares. Seu tratamento além de medicamentoso envolve a prática de alongamentos e relaxamentos das áreas atingidas, assim como fisioterapia.

Bursite

A bursite é a inflamação na bursa — bolsa que atua como amortecedor de ossos e músculos — causada pelo uso repetitivo de algumas articulações, ou mesmo envelhecimento natural. Atinge ombros, joelhos, pés, quadris e cotovelos.

Seu tratamento implica o uso de medicamentos, fisioterapia, retirada do líquido acumulado na região e até intervenção cirúrgica quando indicado.

Artrose

Mais comum em pessoas acima dos 50 anos, a artrose é caracterizada pela inflamação e desgaste das articulações. Imagine que, entre os ossos, há uma camada de cartilagem que funciona como uma espécie de amortecedor. Quando essa cartilagem se rompe, os ossos ficam sensíveis e sem a proteção devida.

Entre as principais causas que aceleram o desgaste das articulações, estão excesso de peso, sedentarismo, tabaco e predisposição genética.

Apesar dos diversos e importantes avanços da medicina moderna, ainda não há uma forma de regenerar o tecido cartilaginoso. Por isso, o tratamento tem o foco em retardar os efeitos e reduzir os sintomas do problema.

Desse modo, para amenizar as dores e também para que o paciente consiga restabelecer a sua rotina, no tratamento podem ser prescritos medicamentos específicos, acupuntura, fisioterapia e, em casos mais raros e graves, indica-se a cirurgia de limpeza da articulação ou a artroplastia – prótese.

Quais os sintomas de cada dor nas articulações?

A dor nas articulações costuma envolver a cartilagem, o revestimento articular, o ligamento e os ossos. Comumente são classificadas entre agudas e crônicas, e entre inflamatórias ou traumáticas. 

Cada dor se manifesta de uma forma, com diferentes causas. Além da dor em si, as articulações costumam ficar rígidas, quentes, inchadas e até mesmo com a pele avermelhada.

O que é bom para a dor nas articulações?

Uma boa forma de cuidar da dor nas articulações, muitas vezes, é fazendo a imobilização, com talas e tipoias. Além disso, aplicar bolsa térmica pode ajudar a diminuir a sensação dolorida.

Contudo, em muitos casos, a imobilização pode piorar o quadro. Por isso, é essencial buscar atendimento profissional em uma clínica reumatológica ao perceber o início das dores.

Como aliviar a dor nas articulações?

dor nas articulações

A dor nas articulações pode ser aliviada com compressas, medicamentos, exercícios e fisioterapia. Por isso, tratar a causa é a melhor forma de melhorar os sintomas.

Um médico reumatologista é o profissional adequado para avaliar, diagnosticar e tratar os motivos da dor, além de ajudar na promoção de alternativas que melhorem a qualidade de vida.

Como tratar a dor nas articulações?

Muitas pessoas sofrem com as doenças reumatológicas e não sabem, visto que seus sintomas são parecidos com outras condições. Entretanto, estar atento a estes sinais, como a dor nas articulações, pode ser uma forma de saber quando procurar um reumatologista.

Além disso, as doenças reumáticas comprometem órgãos vitais, tornando o acompanhamento médico fundamental. Afinal, quanto mais precoce o diagnóstico por realizado, maiores são as chances de um tratamento e controle de sintomas, assim como a remissão em determinados casos.

O reumatologista costuma atuar em espaços como hospitais, clínicas, consultórios, centros e clubes esportivos, laboratórios ou mesmo na carreira acadêmica, por meio da docência. Seu papel como especialista é trabalhar nos cuidados de doenças que afetam o sistema locomotor do indivíduo, envolvendo músculos, ossos, tendões, ligamentos e articulações. 

Ao decidir quando procurar um reumatologista, o profissional será responsável por determinar tratamentos adequados de acordo com cada diagnóstico individualizado. Isso porque, são mais de 200 tipos diferentes de doenças na reumatologia que podem acometer o indivíduo.

Entre elas, estão enfermidades autoimunes, degenerativas e desgastes que exigem tratamentos diferenciados, que podem envolver terapias por infusão de medicamentos, fisioterapia, acupuntura, atividades físicas, controle da dor e muito mais.

Como escolher sua clínica de reumatologia?

Como vimos, ao perceber os possíveis sintomas como a dor nas articulações, é preciso agir rapidamente. No entanto, isso não quer dizer buscar tratamento em qualquer local sem ter a certeza de tratar-se da melhor clínica de reumatologia para as suas necessidades.

Esse tipo de doença apresenta diversas nuances e possibilidades de tratamento que uma clínica moderna, atualizada e com equipamentos de última geração, estará habilitada a prover. Ainda, capacidade de realizar exames e procedimentos diagnósticos, exames laboratoriais e terapêuticos deve fazer parte do rol de serviços da clínica.

Outro ponto a ser considerado no momento de escolher sua clínica de reumatologia é que as doenças reumáticas costumam exigir tratamentos de duração prolongada.

Portanto, é preciso escolher uma clínica com profissionais de confiança, que sejam capazes de desenvolver uma boa relação com o paciente e seus familiares, que atuem eficientemente na educação dos enfermos, fornecendo valiosas informações sobre como conviver com uma doença reumática crônica e ter mais qualidade de vida. 

Ainda, buscar uma clínica que ofereça alternativas terapêuticas inovadoras e menos invasivas, como os medicamentos imunológicos por meio de infusões, é uma boa escolha. Estes tratamentos, que envolvem recursos modernos que ajudam a desacelerar o ritmo de degradação óssea, característico dessas doenças, estimulam a regeneração dos ossos, além de oferecer um alívio significativo dos incômodos sintomas.

Por fim, também é crucial optar por uma clínica de reumatologia que tenha boa credibilidade junto ao mercado e à comunidade. Ela deve oferecer um atendimento integral e multidisciplinar ao paciente, a fim de prover uma solução mais completa e eficiente ao seu problema, melhorando a sua qualidade de vida.

Diferenciais da Clínica Croce

A Clínica Croce, localizada na zona oeste de São Paulo, é também uma clínica de reumatologia, com médicos reumatologias altamente capacitados, especialistas da USP e UNIFESP, e com expertise de mais de 40 anos de atuação.

Sabemos que a sua saúde não pode ser fragmentada. Por isso, na Croce você não terá à disposição apenas o especialista em reumatologia, mas uma equipe multidisciplinar para atender integralmente suas necessidades de tratamento.

Como vimos, o atendimento humanizado faz toda a diferença, sobretudo em tratamentos prolongados, como é o caso dos reumatológicos. E toda a equipa da Croce sabe disso: desde a recepção até o corpo clínico, nossos profissionais estão prontos para interagir empaticamente com os pacientes.

Ainda, na Clínica Croce você encontrará as opções mais modernas para tratamento, incluindo as infusões medicamentosas para todas as doenças reumáticas descritas aqui — como o lúpus eritematoso sistêmico, a artrite reumatoide e a artrite psoriásica.

Esse recurso consiste, basicamente, na aplicação de medicamentos por via intravenosa, subcutânea e intramuscular, oferecendo um atendimento mais prático ao paciente, que, logo após a aplicação, estará já liberado para retomar seus afazeres de costume (salvo casos especiais).

Cabe salientar que essa tem se mostrado a opção mais viável e eficiente, sobretudo em casos de doenças reumáticas moderadas ou graves e que não demonstram boa resposta ao tratamento mais convencional.

E outra boa notícia é que tudo isso está à sua disposição de forma facilitada, pois trabalhamos com diversos planos de saúde, incluindo Bradesco Saúde, Plano de Saúde Itaú, Mediservice, Porto Seguro Saúde, SulAmérica Saúde e Convênio ABMED.

Desse modo, se você está em busca das melhores soluções e do melhor atendimento para problemas reumáticos, em um ambiente seguro e moderno, não deixe de fazer uma visita à Clínica Croce.

Agora que você já sabe como escolher uma boa clínica reumatológica e as causas da dor nas articulações, agende sua consulta com a Clínica Croce.