O que é a inflamação óssea? Veja agora como tratá-la!

Inflamação óssea

A inflamação óssea é também conhecida como osteomielite, doença causada geralmente pela presença de uma bactéria que invade tecidos. 

Quando não tratada, pode causar, além de dores e incômodos, complicações graves. 

Em alguns casos, isso pode significar a degradação completa dos ossos, artrite, problemas de crescimento, câncer e morte.

Por isso, entender os sinais e sintomas da inflamação óssea e buscar um profissional adequado para diagnosticar e tratar essa condição é muito importante. 

Veja como fazer isso, acompanhando a leitura conosco!

O que é inflamação óssea?

A inflamação óssea, ou osteomielite, é normalmente resultado de uma infecção no organismo, ou seja, a invasão do tecido ósseo por bactérias e outros microorganismos. 

Quando o indivíduo conta com doenças pré-existentes, os germes da infecção podem migrar para a corrente sanguínea e afetar outros órgãos. 

Isso, por sua vez, acarreta na inflamação óssea. Essa condição é chamada de osteomielite hematogênica. 

Essa forma de contaminação é mais comum em crianças, especialmente em meninos. Ela costuma afetar os ossos longos em membros inferiores (pernas) como o fêmur, a tíbia e o úmero.

Principais sintomas

Na inflamação óssea, a infecção dos ossos pode causar febre e, em alguns casos, dor no local infectado. A área óssea pode ficar avermelhada, dolorida e inchada, em que os movimentos podem ser dolorosos. Além disso, pode causar perda de peso e cansaço constante.

Quando a inflamação óssea é resultado de infecções em tecidos moles adjacentes ou de invasão direta por um microrganismo, a região sobre o osso pode ficar inchada e dolorida.  Se a infecção ocorre ao redor de uma articulação artificial ou membro infectados, a dor persistente pode estar presente.

Na inflamação óssea vertebral, os sintomas são graduais. Eles causam dor persistente nas costas e sensibilidade ao toque que piora com o movimento. Não apresentam melhora com o repouso, compressas quentes e medicamentos analgésicos. 

De maneira geral, as pessoas com inflamação óssea vertebral não apresentam febre.

Quando não tratada, a inflamação óssea pode se tornar crônica. Essa infecção persistente é difícil de ser recuperada. E em alguns momentos, pode permanecer indetectável por um longo período, sem sintomas por meses ou anos.

Contudo, de forma geral, a inflamação óssea crônica provoca dores, infecções no tecido mole e drenagem de pus através da pele. Nesse processo, uma passagem se forma entre o osso infectado e a superfície da pele, causando a drenagem de pus.

Quais suas causas?

Infamação óssea: causas.

A inflamação óssea é causada por bactérias, entre elas, S. aureus, seguida pelos estreptococos do grupo A. Além disso, em pessoas com anemia falciforme, pode ser provocada principalmente pela Salmonella.

Já em pessoas imunodeprimidas, com grandes áreas do corpo queimadas, e em caso de traumas em ossos do calcanhar, o principal agente infeccioso são as Pseudomonas. Essas bactérias permanecem em diferentes lugares.

Quais os fatores de risco?

A inflamação óssea apresenta diversos fatores de risco para seu desenvolvimento. Entre os principais estão os traumas ou feridas próximas ao osso e cirurgia ortopédica. 

Da mesma forma, estão:

  • uso de cateteres;
  • alterações na circulação;
  • deficiência no sistema imunológico;
  • longo período acamado;
  • mobilidade deficiente.

Como é feito o diagnóstico da inflamação óssea?

Para diagnosticar a inflamação óssea, o médico realiza a solicitação de exames de sangue, exames de imagem (radiografia, tomografia, ressonância e cintilografia) e avaliação clínica.

Os sintomas presentes durante o exame físico podem indicar a osteomielite, a ser confirmada com outros exames.

Como é o tratamento?

Para tratar a inflamação óssea, inicialmente realiza-se a punção local. Para realizá-la, procede-se com sedação e anestesia do paciente em centro cirúrgico. 

Quando se aspira o pus, também é realizada a drenagem de partes moles. Caso exista também dentro do próprio osso, é necessário fazer perfurações ósseas que permitam que o local seja lavado, expulsando o material bacteriano e tecido necrosado.

Além disso, realiza-se a terapia medicamentosa com antibióticos após a cultura de material, antes mesmo do resultado. Na inflamação óssea hematogênica, é necessário realizar terapia parenteral com antibióticos.

Normalmente, o período de tratamento é de 4 a 6 semanas. Caso o paciente permaneça estável por, pelo menos, 10 dias, pode-se administrar os medicamentos por via oral, a nível ambulatorial.

É possível prevenir?

Inflamação óssea: é possível previnir?

A prevenção da inflamação óssea pode ser realizada como em muitas doenças. Nesse caso, é essencial manter consultas e exames periódicos de rotina. Por isso, antes do surgimento de doenças imunológicas ou circulatórias, por exemplo, é muito importante conversar com um especialista sobre meios de prevenir as infecções.

De maneira geral, a recomendação para prevenir a inflamação óssea é evitar arranhões e cortes. Afinal, eles favorecem a entrada de microrganismos no corpo. Em caso de lesões de pele, é importante lavar a área de forma imediata e, se preciso, envolvê-la com bandagens sempre limpas. Ao observar cortes e feridas que não cicatrizam ou apresentam sinais de inflamação, procure atendimento médico rapidamente.

Para pessoas idosas, acamadas ou com necessidades especiais, que passam boa parte do tempo em uma mesma posição, é recomendado mudar de posição constantemente. Isso evita o surgimento de feridas na pele. 

Por que realizar um acompanhamento médico constante?

Uma das melhores formas de evitar complicações no quadro de inflamação óssea é com um diagnóstico precoce e tratamento adequado. Para isso, manter acompanhamento médico é fundamental. 

O sintoma que costuma levar a maior quantidade de pacientes até o consultório do reumatologista é, sem dúvidas, a dor nos ossos. 

Com base no relato do paciente, o especialista pode investigar a causa desse fator, além de fazer uso de exames físicos bastante minuciosos. 

Com a evolução da medicina e o desenvolvimento constante da tecnologia, essa área clínica dispõe de um vasto e moderno arsenal de exames laboratoriais e de imagem. Eles são poderosas ferramentas, e atuam de forma complementar à avaliação clínica.

A dor é a principal queixa dos pacientes com inflamação óssea. Por isso, esse é o principal indicativo da necessidade de agendar uma consulta com o reumatologista.

Não raramente, outros especialistas recomendam uma visita ao reumatologista em quadros nos quais ocorrem a evolução de outras doenças.

Nos últimos anos, o tratamento clássico dessas doenças passou por um processo de evolução. Atualmente, novos medicamentos e estratégias foram postos em prática. Até então, o tratamento mais comum envolvia unicamente o uso de anti-inflamatórios.

Ortopedista ou reumatologista?

Inflamação óssea: Ortopedista ou Reumatologista?

Apesar de terem suas próprias áreas médicas, muitas vezes esses campos de atuação acabam se sobrepondo, principalmente em condições como a inflamação óssea. Por esse motivo, no momento de procurar tais médicos com especialidades diferentes, o paciente se questiona sobre qual profissional deve buscar.

O que faz o reumatologista?

O reumatologista é o especialista da clínica médica que estuda as doenças de origem não-traumática que causam dores musculoesqueléticas. Isso quer dizer que ele trata as dores nas articulações, nos músculos e ossos. Desde que não tenham sido causadas em virtude de batidas, quedas e torções. Esse profissional também atua na prevenção e no tratamento de doenças do metabolismo ósseo, como a osteoporose.

Embora os sintomas das doenças reumatológicas se manifestem com maior frequência no sistema musculoesquelético, as dores podem indicar outras patologias. Estas, podem acometer outros órgãos, como os pulmões. 

Por esse motivo, o reumatologista tem uma formação bastante completa, que contempla o conhecimento profundo dos demais sistemas do corpo humano.

Sobre essa área médica, é importante ressaltar que as dores crônicas prejudicam a funcionalidade, limitando – e muito – a vida ativa da população. É importante ressaltar que algumas doenças sistêmicas inflamatórias, quando não diagnosticadas e tratadas precocemente, podem levar à morte do paciente.

Embora as doenças ósseas, como a osteoporose, sejam as mais lembradas, as doenças autoimunes, como a artrite reumatoide e a artrose, dentre as condições de inflamação óssea, também fazem parte do leque de problemas que o médico especialista trata.

O papel desse especialista, no entanto, não é unicamente diagnosticar. O reumatologista também realiza o gerenciamento clínico e o tratamento das articulações, dos ossos, músculos e órgãos internos.

É importante frisar que o médico reumatologista atua em parceria com outros profissionais da saúde para promover um tratamento mais completo aos seus pacientes. 

Além disso, atua na educação dos enfermos e familiares, orientando sobre como conviver com uma doença reumática crônica e ter mais qualidade de vida. Esse cuidado inclui técnicas de prevenção de incapacidade, uso de medicamentos e dicas para recuperação de funções. Tudo para preservar o bem-estar do indivíduo na comunidade na qual ele está inserido.

O que faz um ortopedista

O médico especializado em ortopedia é responsável pelo diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças e deformidades que sejam de origem anatômica e fisiológica.

Essas doenças afetam o sistema locomotor como ossos, músculos, articulações, ligamentos e tendões.

No entanto, sendo no Brasil a ortopedia especialidades unificadas, o especialista em ortopedia também trata-se de um traumatologista. Assim, também é capacitado para tratar lesões adquiridas, como aquelas causadas por acidentes, impactos, traumas, quedas e pancadas. 

Dessa forma, o ortopedista, assim como o reumatologista, realiza consultas, exame clínico, solicita exames (de sangue e imagem), indica tratamentos e prescreve medicamentos para a terapia. 

Os profissionais ortopedistas tratam principalmente:

  • deformidades causadas por doenças crônicas, como a artrose e artrite;
  • deformidades ósseas;
  • desvios de coluna, escoliose, cifose e lordose;
  • bursites e tendinites;
  • hérnias de disco;
  • lesões esportivas;
  • lesões musculares;
  • fraturas, torções e luxações em locais como cotovelo, punho, mão, quadril, pé, tornozelo, joelho;
  • problemas articulares.

Quando buscar o ortopedista?

Para que o paciente não tenha dúvidas na hora de procurar o especialista correto, confira a seguir, os sinais que indicam quando um ortopedista é o médico ideal para diagnosticar e tratar as seguintes questões:

  • dores musculares;
  • dores na coluna;
  • deformidades visíveis em articulações ou ossos;
  • dores intensas ao movimentar uma ou mais partes do corpo;
  • fraturas;
  • inchaços em regiões específicas;
  • desenvolvimento de joanetes;
  • problemas de postura;
  • pés tortos no nascimento (pé torto congênito).

O médico reumatologista é o principal responsável pelo tratamento da inflamação óssea. 

É ele quem ajuda a minimizar sintomas como quadros de inflamação, rigidez muscular e dores nas articulações que afetam a qualidade de vida dos pacientes. Um diagnóstico preciso e célere é essencial para interromper a progressão da doença e proporcionar melhores resultados no tratamento do paciente.

Embora existam medidas que tragam maior qualidade de vida para a população, como a adoção de hábitos e a alimentação saudável, a pessoa que desenvolve a doença pode ter um padrão genético herdado que favorece o seu desenvolvimento. 

Apesar das tendências genéticas ainda não serem passíveis de tratamento na medicina atual, é possível introduzir um tratamento eficaz tão logo apareçam os primeiros sintomas. Dessa forma, é possível evitar sua progressão.

Entretanto, buscar atendimento em qualquer local não é a melhor forma de garantir os cuidados necessários. As doenças ortopédicas e reumatológicas que causam dor nos ossos apresentam diferentes possibilidades de tratamentos modernos e atualizados. 

É importante receber atendimento em uma clínica reumatológica especializada que ofereça equipamentos de última geração, assim como profissionais capacitados para exames e procedimentos diagnósticos, e terapias avançadas. 

Um ambiente como esse, que possa oferecer alternativas para terapias inovadoras e menos invasivas, também é atrativo. Isso porque, tratamentos como esses podem ajudar a desacelerar o desgaste ósseo, muito característico das doenças reumatológicas e ortopédicas, estimulando a regeneração e oferecendo alívio dos sintomas. 

Além disso, considerando que o tratamento para doenças reumáticas envolve períodos prolongados, é preciso avaliar a qualidade clínica da equipe. Fique atento a confiança, boa relação com os pacientes e profissionalismo de cada um. Uma clínica com credibilidade deve oferecer atendimento integral e de qualidade multidisciplinar, como forma de solucionar por completo os problemas de seus pacientes. 

Clínica Croce de reumatologia

Quando procurar um reumatologista ou ortopedista, você deve optar por uma clínica que ofereça o melhor atendimento especializado em doenças reumáticas, como a Clínica Croce. Situada na Zona Oeste de São Paulo, conta com uma equipe de profissionais altamente capacitados e especialistas em reumatologia formados na USP e UNIFESP. Além de uma expertise de mais 40 anos no mercado.

Entre seus diferenciais, a Clínica Croce apresenta o tratamento integral do indivíduo, buscando a otimização dos resultados e promoção de um atendimento humanizado. Por esse motivo, possui equipes multidisciplinares que têm como objetivo resolver as necessidades terapêuticas. 

Além disso, a Croce oferece os mais modernos tratamentos do mercado, como infusões medicinais e outras terapias avançadas muito utilizadas em doenças reumatológicas, autoimunes e também oncológicas.

Algumas doenças que causam dor nos ossos são mais graves e difíceis de serem diagnosticadas do que outras. Dessa forma, saber quando procurar um especialista é fundamental. Afinal, esse profissional contribui para um diagnóstico preciso e tratamento adequado de situações como a inflamação óssea. Agende sua consulta com um reumatologista  na Clínica Croce. Com a telemedicina é possível ser atendido de qualquer lugar do Brasil, sem a necessidade de estar em São Paulo, cidade sede da clínica!