Quando procurar um alergologista? Conheça os sintomas

quando procurar um alergologista

As doenças alérgicas são muito complexas, e seus tratamentos normalmente variam para cada paciente. Saber quando procurar um alergologista é a melhor forma de garantir os cuidados adequados.

Afinal, somente um profissional qualificado poderá orientar o paciente da forma correta, visto que a alergia não é uma condição passageira, e o acompanhamento contínuo deve ser feito por um profissional.

O alergologista atua de forma próxima – na maioria das vezes até complementar – com outras especialidades. Este profissional auxilia no processo de diagnóstico em áreas como pneumologia, otorrinolaringologia e dermatologia para estudar a melhor condução dos casos dos seus pacientes.

Na leitura de hoje, você vai entender quando procurar um alergologista é a melhor alternativa. Acompanhe, a seguir, e entenda como esse profissional atua, de forma a ajudá-lo diante das crises alérgicas!

Qual a função do alergologista?

Antes de saber quando procurar um alergologista, é importante entender a função deste profissional. O alergologista é o médico habilitado para tratar clinicamente as doenças de origem alérgica. Este profissional se dedica tanto ao tratamento como à prevenção de inúmeras patologias desse cunho.

Embora as alergias respiratórias, como a rinite, por exemplo, sejam as mais lembradas, as alergias alimentares e oftálmicas também fazem parte da lista de problemas de saúde que o especialista se dedica a tratar.

Entretanto, o papel do alergologista não se limita ao diagnóstico de alergias – o tratamento e gerenciamento das doenças também são conduzidos pelo profissional.

O médico alergologista atua de forma complementar com outros profissionais da saúde de modo a oferecer um tratamento mais completo aos seus pacientes e a consequente melhora de sua qualidade de vida. 

Além disso, ele atua na educação dos enfermos e familiares, dando valiosas informações sobre como prevenir crises, conviver com uma doença alérgica e ter conforto no dia a dia. 

Esse auxílio inclui técnicas de prevenção de quadros alérgicos, uso de imunoterapia e dicas para evitar os fatores alérgenos e fazer controle ambiental, visando o bem-estar do paciente e a continuidade dos seus afazeres e compromissos diários.

O alergologista é o especialista da clínica médica que estuda as doenças alérgicas e demais causas de disfunções do sistema imunitário, que comprometem as defesas do organismo. Isso quer dizer que ele é treinado especificamente para realizar e interpretar testes e procedimentos diagnósticos e terapêuticos dos pacientes com doenças alérgicas.

Este profissional também atua na prevenção dos desencadeantes externos que causam a doença e possui experiência nas terapias imunológicas e nos fármacos apropriados para cada paciente.

As alergias estão cada vez mais presentes na realidade da população mundial. Fatores como a crescente poluição, ácaros e a péssima qualidade do ar podem desencadear quadros alérgicos.

Nesse contexto, a rinite já é considerada a alergia de maior prevalência entre os brasileiros. A asma também é um problema global de saúde pública que afeta a qualidade de vidas, prejudicando o período produtivo, podendo resultar em absenteísmo ao trabalho e à escola.

É importante ressaltar que algumas doenças alérgicas, quando não diagnosticadas e tratadas precocemente, podem levar à morte do paciente. Por isso, contar com o auxílio de um alergologista é essencial para o correto manejo da enfermidade e prevenção de morbidade e mortalidade dos indivíduos afetados.

Qual é a importância de saber quando procurar um alergologista no tratamento das doenças alérgicas?

Ainda que um grande número de pessoas sofra com reações alérgicas, a busca por um tratamento eficaz, conduzido pelo especialista adequado, ainda é algo que gera dúvidas. Infelizmente, ao invés de procurar pelo médico e por uma solução específica para a doença, muitas pessoas seguem com o hábito de buscar formas caseiras para amenizar os sintomas e “mascarar” as crises.

Quando a coriza se torna persistente ou começam as crises de espirros, por exemplo, a atitude mais comum é comprar um antialérgico na farmácia mais próxima. Se o problema são as manchas na pele, de forma geral, agendamos uma consulta com o dermatologista. 

Mas se o problema é de caráter respiratório, recorremos ao otorrino. Mesmo que essas opções solucionem – ainda que momentaneamente – a situação, nem sempre são as mais indicadas para se obter um diagnóstico preciso do que está de fato ocorrendo.

Se você apresenta sintomas de uma condição alérgica, ou experimentou um alimento e ele lhe causou alguma reação, está com coceira recorrente na pele, com tosse e falta de ar, deve saber que esses são alguns exemplos de situações que demandam uma consulta com o alergologista.

Esse profissional médico é especializado no tratamento de todos os tipos de alergias e das desordens do sistema imunológico. Assim, ele é habilitado para utilizar o seu conhecimento teórico e prático para identificar e tratar rinites, dermatites, sinusites, imunodeficiências, males ocupacionais e diversas outras patologias com origem alérgica.

Quais são as principais doenças tratadas pelo alergologista?

Para saber quando procurar um alergologista, é importante conhecer as doenças tratadas por este profissional. O médico especialista é responsável pelo diagnóstico e tratamento de doenças que acometem o sistema imunológico e desencadeadas por fatores alérgicos. Dentre as patologias mais comuns estão a hipersensibilidade a venenos de insetos, a alergia alimentar, dermatite atópica, asma e rinite.

Não muito tempo atrás, quem sofria com algum problema alérgico levava bastante tempo para conseguir um diagnóstico preciso e tratamento eficaz para a sua doença, já que acabávamos recorrendo aos conhecimentos de profissionais de outras áreas da medicina, como a dermatologia, pediatria e pneumologia. Embora esses profissionais pudessem diagnosticar a enfermidade, não tinham o conhecimento específico para conduzir o melhor tratamento.

O alergologista atua exatamente nesse ponto: diagnóstico preciso e tratamento eficaz. Assim como ocorre com boa parte das enfermidades, o sucesso do tratamento das doenças alérgicas depende da velocidade do seu diagnóstico. 

Afinal, esse fator influencia na incidência de episódios de crises que podem prejudicar os afazeres diários e, até mesmo, levar a óbito. As doenças alérgicas tratadas por esse especialista podem ser agrupadas de acordo com os mecanismos de defesa atacados, obedecendo a seguinte classificação:

  • Alimentares: certos alimentos podem desencadear alergias, dependendo do organismo dos indivíduos. As manifestações alérgicas de cunho alimentar resultam em vômitos, diarreias, manchas pelo corpo e reações mais graves, como o choque anafilático, que pode levar ao óbito;
  • Oculares: as doenças alérgicas também podem ser oculares, como é o caso da conjuntivite alérgica que pode causar diversos problemas na visão e provocar irritação, coceira, vermelhidão extrema e lacrimejamento;
  • Pele: esse grupo de alergia pode ter diferentes fatores desencadeantes, que incluem o uso de perfumes e cremes, e as picadas de insetos – os sintomas mais comuns são as lesões na pele e a coceira;
  • Respiratórias: as alergias respiratórias costumam ocorrer devido a uma hipersensibilidade a diferentes fatores, como ácaros, poeira, mudanças climáticas e pelos de animais. Elas provocam coceira na garganta e no nariz, espirros e coriza constantes, tosse e dificuldade para respirar.

A prevalência crescente das doenças alérgicas, o seu impacto no bem-estar individual, coletivo e o prejuízo social associado a elas corroboram para a necessidade de opções terapêuticas e de profissionais capacitados para encarar o desafio de tratar os sintomas e ônus dessas condições.

Embora nem todos os casos tenham uma cura, há formas de controlar as crises, aliviar os sintomas e proporcionar mais conforto aos alérgicos. Para isso, é importante conhecer mais sobre as doenças que o alergologista trata. Confira algumas delas a seguir.

Alergia alimentar

Trata-se de uma reação alérgica sistêmica causada por alimentos. Em alguns casos, a reação pode ser desconfortável, mas não grave. Já em outros, pode até mesmo ameaçar a vida.

Os sintomas podem ser percebidos em um período de poucos minutos até duas horas após a ingestão de determinado alimento. Os sinais mais comuns da reação incluem dificuldade para respirar, coceira na boca, dor abdominal, urticária, tonturas, inchaço nos lábios, na língua, na face, na garganta ou em outras partes do corpo, desmaios, vômitos, diarreias e náuseas.

Anafilaxia

Consiste em uma grave reação alérgica sistêmica causada, em geral, por substâncias ingeridas, injetadas ou de contato, que incluem medicamentos, látex, picadas de insetos e alimentos.

Os indivíduos que sofrem com a anafilaxia podem experimentar formigamento da boca, falta de ar, rubor, calor, coceira, lesões cutâneas e cólicas. Nos casos mais graves, pode levar à perda da consciência, queda de pressão arterial e pode ser fatal, se não tratada a tempo, já que é uma emergência médica.

Asma

Esta doença pulmonar crônica resulta em opressão torácica, dificuldade para respirar, chiados e tosses. As crises podem ser desencadeadas por fatores alérgenos e estímulos como fumaça, infecções do sistema respiratório e ar frio. Um fato que muita gente desconhece é que quadros de rinite alérgica podem evoluir para essa doença.

Dermatite atópica

Essa doença alérgica é uma inflamação da pele, geralmente causada por uma predisposição genética, em que há excesso de produção de anticorpos IgE. Isso resulta em uma reação exagerada da pele quando o indivíduo entra em contato com substâncias alergênicas. Os sintomas incluem coceira, vermelhidão e descamação da pele por todo o corpo, não necessariamente nas regiões que tiveram contato com a substância alergênica.

Dermatite de contato

Nesse caso, os indivíduos apresentam lesões nas áreas do corpo que tiveram contato com fatores aos quais são alérgicos, como tecidos, produtos de higiene e limpeza ou pelos de animais.

Otite

Trata-se da infecção dos ouvidos. Essa doença alérgica é uma das mais comuns entre as crianças, fazendo com que os pais procurem atendimento médico.

Rinite alérgica

Essa modalidade de alergia consiste em uma inflamação crônica da membrana mucosa que reveste as vias nasais. Uma vez exposto aos fatores alérgenos e provocada a reação, o indivíduo enfrenta uma série de sintomas, que incluem a necessidade de respirar pela boca, rinorreia, falta de olfato espirros, coriza, coceira nos olhos e gargantas, entre outros.

Sinusite

Consiste na inflamação dos seios paranasais. Essa infecção é frequentemente desencadeada por quadros de rinite alérgica, fazendo com que o indivíduo passe por extremo desconforto.

Urticária

Esse tipo de alergia é desencadeado pela ingestão de alimentos ou medicamentos, muitas vezes aparecendo e desaparecendo sem motivo aparente. Resulta em lesões na pele, coceira e protuberâncias avermelhadas na superfície da pele.

Mesmo que nem todos os casos de doenças alérgicas possuam uma cura, há formas bastante efetivas para controlar o seu impacto no bem-estar, aliviar os sintomas e reduzir a incidência de crises. Para isso, é importante saber identificar as principais doenças tratadas pelo alergologista. Confira algumas delas a seguir:

  • Alergia alimentar;
  • Alergia a medicamentos;
  • Alveolite;
  • Asma;
  • Bronquite;
  • Choque anafilático;
  • Dermatite atópica/eczema;
  • Dermatite de contato;
  • Diabetes tipo 1;
  • Doenças alérgicas ocupacionais;
  • Fatores de risco de progressão de doenças alérgicas;
  • Hepatite autoimune;
  • Hipersensibilidade a picadas de insetos;
  • Imunodeficiências;
  • Lúpus;
  • Otite;
  • Pneumonite por hipersensibilidade;
  • Reações específicas de órgãos resultantes de alergias;
  • Reações gastrintestinais resultantes de alergia;
  • Rinite alérgica;
  • Rinoconjuntivite;
  • Sinusite;
  • Tosse;
  • Urticária e angioedema.

Quando procurar um alergologista?

Nosso sistema imunológico é capaz de se defender contra diversos invasores, como os vírus e as bactérias. Embora essa habilidade seja fascinante, o processo pode ser considerado agressivo e, em alguns casos, resultar em uma hiperreatividade a determinadas substâncias que não são necessariamente perigosas, como o mofo, a poeira ou o pólen. Os indivíduos que apresentam esse tipo de sensibilidade devem se preocupar em agendar uma consulta com o alergologista.

Uma vez que o paciente passa por uma consulta com esse especialista, ele vivencia uma minuciosa avaliação, que contempla exames físicos, de sangue, cutâneos e de contato, além de testes de alergia e anamnese. Todos esses passos são importantes para conhecer o histórico do indivíduo e elaborar um diagnóstico preciso que ajudará na escolha do plano de tratamento. 

É importante ressaltar que a abordagem do tratamento, que inclui medicação, ações de controle ambiental e revisões, é totalmente personalizada, não existindo uma fórmula universal, já que varia de acordo com as características do paciente.

Os pacientes do alergologista incluem pessoas de todas as faixas etárias, afinal, as doenças alérgicas podem se manifestar em qualquer idade.

Ainda que esse tipo de enfermidade não obedeça a um único padrão, podemos observar algumas prevalências que variam de acordo com as diferentes fases da vida. Na infância, reações em decorrência do uso de medicamentos, picadas de inseto ou ingestão do leite de vaca são bastante comuns. Entre os idosos, a incidência de rinite alérgica e asma também é alta.

No entanto, independentemente da idade, existem alguns indicativos da necessidade de procurar ajuda do alergologista. Os principais sintomas, que devem servir como um alerta para todos nós, incluem: nariz escorrendo e espirros constantes, coceira na pele, vômito e diarreia, falta de ar e sibilância e bolsas abaixo dos olhos ou olheiras.

Outros sinais de que você deve ir à consulta com o alergologista são: apresentar sintomas frequentes de alergia, perceber que medicamentos como descongestionantes e anti-histamínicos já não fazem mais efeito, perceber sinais de asma e identificar que certos alimentos lhe fazem mal.

É preciso ter atenção, visto que esses indicativos são genéricos e podem também ser indícios de outras enfermidades. Por isso, é preciso observar a frequência com a qual ocorrem e o contexto em que estão inseridos. Se você perceber que eles são recorrentes ou surgem após o contato com determinada substância, a melhor ação é agendar uma consulta com o profissional.

Embora determinadas alergias possam ser facilmente controladas com o uso de medicamentos, algumas condições podem interferir nas atividades diárias, diminuir a qualidade de vida e resultar em crises que, quando não controladas, podem até mesmo ser fatais.

Alergologia na Clínica Croce

Na Clínica Croce, contamos com um corpo médico que contempla especialistas de diversas áreas, incluindo a alergologia e imunologia. A clínica de imunologia é uma das mais conceituadas do país e disponibiliza alergologistas com ampla experiência e prontos para fornecerem o atendimento qualificado e humanizado que o paciente necessita.

A clínica conta com estrutura, equipamentos e metodologias modernas para dar o suporte necessário. O corpo clínico da Croce está preparado para prestar atendimento qualificado e especializado, por meio de exames, testes, consultas, diagnósticos e encaminhamento de tratamentos diversos, trazendo muito mais conforto para os seus pacientes.

Realizar um diagnóstico preciso é essencial para diminuir a sensibilidade aos fatores alérgenos que a ocasionam, proporcionando assim melhores resultados ao tratamento dos pequenos pacientes.

Ainda que existam medidas que promovem maior qualidade de vida, como a limpeza e aspiração do ar, prática de exercícios e adoção de uma alimentação saudável, a criança que desenvolve a doença alérgica pode ter um padrão genético herdado, favorecendo o seu desenvolvimento.

Mesmo que não seja possível evitar essa predisposição atualmente com as possibilidades que a medicina apresenta, como curar todas as doenças alérgicas, é possível realizar um tratamento eficiente tão logo apareçam os primeiros sintomas e manifestações das doenças, evitando assim que elas se agravem e prejudiquem a rotina das crianças.

Agora que você já sabe quando procurar um alergologista para tratar alterações na sua saúde, garanta o melhor atendimento com profissionais qualificados. Para isso, busque instituições especializadas no assunto, como a Clínica Croce.

Se você percebeu alguns sintomas alérgicos, é importante consultar um especialista. Para isso, faça já o agendamento conosco e conheça os serviços especializados da Clínica Croce!