Vacinação em casa: é possível receber doses à domicílio?

Vacinação em casa

Responsáveis pela construção das defesas naturais do corpo, as vacinas estão presentes em nossas vidas desde o nascimento. Contudo, nos últimos anos, devido à pandemia, o número de pessoas vacinadas caiu. A vacinação em casa é uma alternativa que ajuda a evitar que isso aconteça.

Com um serviço de dose em domicílio, é possível proteger-se contra doenças perigosas, algumas que já haviam sido erradicadas no Brasil. Por demandar uma locomoção, o ato de vacinar-se foi deixado de lado. Afinal, o isolamento social era necessário.

No entanto, a vacinação em casa permite que o indivíduo receba sua vacina, mantendo a saúde em dia, sem precisar sair de casa, evitando a exposição à Covid-19 e também ao vírus da gripe, responsável por muitos casos de adoecimento nos últimos meses.

Na leitura a seguir, saiba mais sobre a vacinação em casa, a importância de manter suas vacinas em dia, quais as doses devem ser administradas durante a vida e como fazer seu agendamento para receber a vacina a domicílio!

Qual a importância da vacinação?

Para combater à onda de desinformação dos últimos anos, é necessário um grande esforço, principalmente dos profissionais da saúde. O controle das doenças por meio das vacinas alcançado nas últimas décadas levou à sensação de que certas enfermidades não representam mais uma ameaça à sociedade. 

O fato de as doenças terem desaparecido fez com que muita gente acreditasse que a vacina se tornou desnecessária. Pensar assim é um equívoco que pode fazer com que tais enfermidades readquiram força de transmissão. 

A mesma percepção é observada entre profissionais de saúde. Muitos nunca viram vítimas de poliomielite ou com sarampo porque cresceram em tempos nos quais elas não ocorriam. Por isso, não estão alerta quanto à sua prevenção.

Também enfrenta-se a terrível febre das notícias falsas. Elas se propagam pelas redes sociais e têm impacto impressionante em quem as acompanha. Durante o surto de febre amarela, por exemplo, os estragos foram estarrecedores, tanto para espalhar o pânico que levou à invasão de postos de vacina quanto para afastar a população das doses. 

Primeiro, correntes incitavam todos a exigir a vacina, quando se sabe que há casos nos quais ela é contraindicada (transplantados e pacientes em quimioterapia, por exemplo). Depois, com a profusão da fake news de que o imunizante faz mais mal do que bem. Como toda medicação, as vacinas apresentam efeitos adversos, mas em sua maioria em escala muito menor do que o benefício que produzem.

Esses dois fatores funcionam como combustível para fortalecer o movimento antivacinação, formado por pessoas que se dedicam a transmitir dados falsos sobre os imunizantes.

Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações (inclusive a morte). É por causa da vacinação que problemas que costumavam matar milhares de pessoas no passado hoje não são mais ameaças.

No entanto, se deixar de tomar vacinas virar uma tendência, essas doenças podem voltar a ser uma realidade, comprometendo a vida de todo mundo, não importando a faixa etária.

E, sim, basta uma única pessoa ignorar a imunização para disparar toda essa cadeia de contaminação. Por isso, é importante que cada um faça a sua parte e esteja atento para manter a vacinação em dia.

As vacinas têm um papel muito importante no fortalecimento do sistema imune. O imunizante faz com que o sistema aprenda a responder à infecção por meio de anticorpos, garantindo a segurança do imunizado. 

Por que é preciso receber as doses de reforço?

A dose de reforço de vacinas garante que o corpo tenha anticorpos necessários ao longo da vida, de forma a combater diferentes doenças infecciosas. Por isso, o calendário de vacinação é desenvolvido de acordo com faixa etária.

A memória imunológica é a capacidade que o sistema imune tem de reconhecer os agentes infecciosos que já foram combatidos pelo corpo, ativando a proteção necessária contra eles.

Em algumas situações, a memória imunológica é eficaz o suficiente para não permitir que a pessoa tenha determinada doença mais de uma vez, como no sarampo ou catapora, por exemplo, doenças que só se manifestam uma vez na vida.

No entanto, nem todas as infecções e vacinas são capazes de gerar proteção definitiva, ou seja, por toda vida. Isso pode acontecer pela falta de estímulo suficiente para a produção de memória imunológica, ou porque em alguns casos a memória não é suficiente para manter a proteção a longo prazo. Alguns casos em que isso acontece são de doenças como tétano, coqueluche e difteria.

Por esse motivo, algumas vezes é preciso tomar doses de reforço de vacina para manter a imunização. De acordo com informações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a memória imunológica é dada por células especiais chamadas linfócitos B. 

Essas são as células que guardam os registros dos anticorpos, essencial para sua produção. Dessa forma, cada vez que o organismo é exposto ao mesmo agente que já foi apresentado uma vez, células especiais informam os linfócitos B, desencadeando a resposta da receita já pronta para fazer os anticorpos.

O que é a vacinação em casa?

Com a necessidade do isolamento social para evitar a transmissão do Coronavírus, as pessoas deixaram de se vacinar. A criação da vacina contra a Covid-19 levou novamente a população aos postos de saúde para receber a imunização. No entanto, os outros imunizantes continuam sendo deixados de lado. Diante dessa realidade, a vacinação em casa se tornou um serviço cada vez mais procurado, principalmente por idosos. 

Em março de 2021, o projeto de lei (PL) 642/2021 previa essa atividade, voltando seu objetivo para pessoas com mais de 60 anos. Os responsáveis pela proposta avaliaram que idosos deveriam evitar a ida às unidades de saúde, no entanto, a vacinação deveria continuar sendo realizada.

É seguro fazer vacinação em casa?

Vacinação em casa

O distanciamento social e a situação da pandemia no Brasil são fatores que têm gerado grande impacto na queda da cobertura vacinal no país. Muitas famílias estão com receio de irem aos locais de vacinação. 

Essa redução pela procura pelas vacinas é preocupante e vem sendo percebida pelo Ministério da Saúde, que alerta para a importância da vacinação mesmo durante a pandemia. 

O país não alcançou a meta para nenhuma das dez vacinas recomendadas pelo Programa Nacional de Imunizações para crianças de até um ano esse ano, dado que preocupa os profissionais da saúde. Segundo a vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Isabella Ballalai, a pandemia de Covid-19 reduziu ainda mais as coberturas vacinais, que já estavam baixas, em todo o país. Enquanto a Covid-19 avança, outras doenças continuam ativas e não podem ser esquecidas.

Se manter imunizado é uma questão de proteção social. Tanto é que, nesse sentido, é concentrada a oferta de vacinas em um curto espaço de tempo, ainda na infância, para facilitar a imunização da maior parte de pessoas ao mesmo tempo, otimizando também a ida dos pais ao levarem seus filhos para fazer vacinas. 

Todas essas pessoas devem procurar uma forma de receber as doses da vacina de forma segura. Independentemente da faixa etária, é fundamental ficar atento para quais vacinas você deve tomar. 

Com a impossibilidade ou dificuldade de sair de casa para preservar a própria segurança, são grandes as chances das pessoas não cumprirem o calendário de vacinação como se deve, um fato que já é percebido pelo Ministério da Saúde, como mencionamos nas informações acima. 

A opção do serviço de vacinação em casa, que já era disponibilizada pela Clínica Croce, se intensificou, auxiliando nas medidas para diminuir a propagação do vírus por contato. Dessa forma, a vacinação em casa se tornou ainda mais segura, evitando o risco de exposição nas ruas.

É possível realizar a vacina da gripe pela vacinação em casa?

A vacina para a gripe é uma das mais seguras e eficientes em relação à prevenção, com estudos que demonstram a redução entre 32% e 45% na necessidade de hospitalização por casos de pneumonias, e 39% a 75% da mortalidade por complicações dessa doença.

Além disso, no período da pandemia do Coronavírus, o processo de vacinação é fundamental para auxiliar na diferenciação entre a gripe e a Covid-19, resguardando também os portadores de doenças respiratórias, grupo de risco para ambas.

Pela importância da vacina para gripe, sua campanha foi antecipada de modo a diminuir as incidências de infectados por Influenza. Consequentemente, minimizando o número de pessoas em prontos-socorros, a transmissão, e melhorando as chances de diagnóstico preciso para a Covid-19. Atualmente, é possível fazer essa vacinação em casa pela Clínica Croce. Além da vacina da gripe, confira as vacinas mais importantes para cada fase de nossa vida:

Gestantes

Tríplice bacteriana, hepatite B e Influenza. Algumas vacinas são recomendadas em situações especiais, como nos casos em que as pacientes têm risco de exposição aos vírus, como Hepatite A, Pneumocócicas, Meningocócica ACWY e Meningocócica B.

Durante a gestação, as vacinas para Febre amarela, Tríplice Viral, HPV, Varicela e Dengue são contraindicadas.

Prematuro

BCG, Hepatite, Rotavírus, Tríplice Bacteriana, Haemophilus influenzae b, Poliomielite inativada, Pneumocócica conjugada, Meningocócicas ACWY e B e Influenza.

Criança

BCG, Hepatite B, Tríplice bacteriana, Haemophilus influenzae b, Poliomielite, Rotavírus, Pneumocócica conjugada, Meningocócica ACWY, Meningocócica B, Influenza, Hepatite A, Tríplice viral, Varicela, HPV, Dengue e Febre amarela.

Adolescente

Tríplice Viral, Hepatites A, B ou A e B conjugadas, HPV, Tríplice Bacteriana, Varicela, Influenza, Meningocócica ACWY, Meningocócica B, Febre amarela e Dengue.

Adulto

Tríplice Viral, Hepatites A, B ou A e B conjugadas, HPV, Tríplice Bacteriana, Varicela, Influenza, Meningocócica ACWY, Meningocócica B, Febre amarela, Dengue, Pneumocócicas e Herpes Zoster.

Idoso

Influenza, Pneumocócicas 13 e 23 V, Tríplice Bacteriana, Hepatites A e B, Febre amarela, Meningocócicas, Herpes zoster e Tríplice Viral.

Clínica Croce e a vacinação em casa

Vacinação em casa

Com a impossibilidade ou dificuldade de sair de casa para preservar a própria segurança, são grandes as chances das pessoas não cumprirem o calendário de vacinação como se deve, um fato que já é percebido pelo Ministério da Saúde como mencionamos nas informações acima.

Contudo, a Clínica Croce disponibiliza o serviço de aplicação de vacinas à domicílio, realizado já há algum tempo antes mesmo do início da pandemia. Pensando no conforto, praticidade, e agora mais do que nunca na proteção do próximo, a clínica leva o serviço de vacinação até casas, apartamentos, condomínios, escolas, empresa. 

Uma enfermeira é responsável por realizar no local em que a vacina foi solicitada uma avaliação das carteiras de vacinação, tirando dúvidas e ajudando na identificação das vacinas que eventualmente possam estar em falta segundo o calendário. E claro, com todas as medidas de segurança recomendadas pela Organização Mundial da Saúde. 

A clínica então organiza uma campanha de vacinação que poderá ser realizada de acordo com as datas e horário mais convenientes para os solicitantes. Essa alternativa é fundamental para que populações que convivam em grupo não tenham sua saúde prejudicada pelo isolamento social, evitando doenças potencialmente graves como meningites bacterianas, caxumba, herpes zóster, gripe H1N1, hepatites e outras, por meio da aplicação de vacinas à domicílio.

Como mencionado anteriormente, mesmo com a pandemia em andamento as outras doenças precisam ser prevenidas e devidamente controladas. A vacinação à domicílio da Clínica Croce não é apenas um delivery de vacinas: é um serviço completo onde levamos a vacina até você, na sua casa e/ou onde você estiver, realizamos a aplicação e damos todas as orientações e cuidados necessários, da mesma forma como se o processo fosse feito em nossas instalações, mas no conforto da sua casa ou local de sua escolha. 

Como agendar a vacinação em casa com a Clínica Croce?

Além do sistema de aplicação de vacinação à domicílio, a Clínica Croce iniciou a prestação de serviço por teleatendimento para seus pacientes, com o objetivo de manter a saúde de todos em segurança devido o aumento de casos de pessoas com Covid-19.

A clínica disponibiliza a seus pacientes e usuários o atendimento através de um sistema único e exclusivo da clínica, a fim de buscar a melhor maneira de assistir cada um deles sem que seja preciso seu deslocamento. Com uma renomada equipe médica, a Clínica Croce oferece especialistas nas áreas de Alergologia e Imunologia, Endocrinologia, Endocrinologia Pediátrica e Reumatologia.

A chegada do teleatendimento, seja no Brasil ou no mundo, para a telemedicina é uma área que tem rompido barreiras, eliminando distâncias geográficas e conectando especialistas a outros profissionais de saúde, administradores de unidades de saúde e pacientes. Esse avanço é possível graças à aplicação de tecnologias modernas, como a Internet, sistemas de áudio, imagem e vídeo.

Todo esse aparato contribui para a resolução de demandas comuns na área da saúde, como o esclarecimento de dúvidas e a manutenção das consultas de rotina com especialistas de cada área.

As infecções pneumocócicas, incluindo pneumonia e doenças invasivas, tais como bacteremia (presença do pneumococo no sangue) e meningite são fontes importantes de morbidade e mortalidade em lactentes, crianças, idosos e pessoas com sistema imune deprimido (em uso de quimioterápicos ou na vigência de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida [SIDA / AIDS]).

A vacinação contra o pneumococo (Streptococcus pneumoniae) é recomendada para todas as crianças e para os adultos que têm uma condição que os coloca em maior risco de desenvolver pneumonia ou doença pneumocócica invasiva, ou ainda que têm um fator de risco para piores desfechos se a infecção ocorre.

É importante lembrar que no contexto da Covid-19, as comorbidades aumentam o risco de agravamento do quadro do paciente. Para aqueles que não tratavam as enfermidades previamente, a evolução da doença causada pelo Coronavírus pode ser ainda pior. 

Estratégias de vacinação preventiva, cuidados com a higiene e acompanhamento médico são cuidados que, quando feitos em massa, podem colaborar com o controle do Covid-19 e também para os novos vírus e doenças que chegam em nossa sociedade. 

Clínica Croce 

Além de seu sistema de aplicação de vacinação em casa, a Clínica Croce é referência em vacinas na região em que está localizada e conta com uma equipe médica renomada, com especialistas da USP e UNIFESP. A empresa oferece o que há de melhor em áreas como Imunologia, Endocrinologia, Alergologia, Reumatologia, e Endocrinologia Pediátrica.

Com os mais avançados serviços e ferramentas tecnológicas, a clínica oferece meios para diagnóstico e tratamento de doenças alérgicas, com corpo clínico multidisciplinar de alto nível técnico e científico.

Você pôde conferir como o serviço de vacinação em casa da Clínica Croce é uma importante forma para manter a saúde e qualidade de vida, principalmente em momentos como o que estamos vivendo, em que a imunização ajuda também a evitar possíveis complicações. 

Quer saber mais sobre nosso serviço de aplicação de vacinação em casa? Então entre em contato conosco e agende seu horário! Estamos prontos para atendê-lo em nossos canais de atendimento digital.